segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Encontro

Encontra-te comigo debaixo daquela árvore velha como o tempo. De pés descalços na terra sinto a seiva da tua alma - a voz druídica que nos eleva à essência da vida. Amar não é mais do que o restolhar das folhas ao vento. Libertar o fogo do peito e deixá-lo planar nas asas de um cisne.