terça-feira, 13 de novembro de 2012

a cidade fervilha

a cidade fervilha
e o tempo foge
procuro-te o rosto
no reflexo da chuva

ao longe, notas soltas
numa janela aberta
acordam um piano
ávido de melodia

o poema nasce da música
dedos afagam a palavra
pulsa-te a vida
no brilho dos olhos

e eu sei que
chegaste

domingo, 4 de novembro de 2012

Pedro procura Inês
nos recantos sombrios da noite
na luz fresca da manhã
nos ecos longínquos da calçada
na presença na ausência
no abismo que se aproxima
na redenção do final

Pedro proura Inês
no poema que nasce da terra
no frémito que cruza os céus

Procura sem desesperar
crente na espera
bate no peito e acredita
que amor pode voltar

Pedro procura Inês
além-túmulo além-vida
sem sinal de despedida
até ao fim do mundo
The First Kiss, Laurel Burch