domingo, 19 de setembro de 2010

Canto

Regresso a casa num barco de estrelas, depois de me ter procurado nas sombras da lua. Escondi-me de mim e perdi-me, adormecida nas asas do vento norte. Segui o sinal da lira - lira fulgurante de palavras inquietas. Leve o canto que me fez retornar a mim. Água cristalina que refresca a minha cauda de sereia. Amiga do vento. Habitante da água. Filha da terra que foge do fogo e busca o longe sem fim.