sábado, 9 de março de 2013

Infância

Os sonhos que teço são o lençol
que me cobre quando te dou
o canto das aves

Pele de pele sonho de sonho
anseio que se evade do corpo
e sublima a alma

Boca e olhos
pomos frutados
de um halo de luz

Voz e palavras
eras suspensas
de jardins místicos

Espaços intemporais
de crianças descalças
correndo na relva