quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Segredo

Trazes a frescura da manhã
quando desces a estrada
para colher uma flor
Enroscas-te na memória de nós
e procuras o conselho
da nossa alegria
Conta-me o que viste
lá ao fundo
no jardim
e enfeita o meu colo
com gargalhadas de arco-íris
Espalha versos no regato
e liberta as promessas
que fizémos
Vê-as vogar
nas ondas do tempo
- o barco lento da saudade --
que nos embala
numa festa de estrelas